Como conheci meu namorado

Há menos de 20 dias do dia dos namorados, onde todas as vitrines extrapolam em corações, tons de rosa e vermelho, restaurantes e mais restaurantes criam ações para os pombinhos, resolvi contar aqui como conheci meu namorado.

Bem, em 11 de junho de 2015, meu relacionamento de 8 anos e meio chegou ao fim. E foi mega difícil passar por isso depois. Durante 1 ano me permiti ficar sozinha e repensar minha vida  me reencontrar pessoa e tentar entender tudo o que estava acontecendo. E vou dizer: foi difícil demais!! Uma das fases mais difíceis da minhas vida. Mas, totalmente necessário.

Depois desse 1 ano vi que a minha vida amorosa precisava seguir, mas eu tinha que dar o primeiro passo  porém  não sabia como. Minha prima Evelyne e uma amiga tanto perturbaram, que cedi e entrei no Tinder. Contra a minha vontade diga-se de passagem. Achava ridículo. Aquilo lá mais parecia carne no açougue à espera de um comprador. Era uma foto pior que a outra, cada frase e descrição de perfil de chorar de tristeza sem contar a sensualização sem noção das pessoas. Todo dia me perguntava o que eu estava fazendo ali. Fiquei nesse app por 10 dias e todo dia entrava e saía porque achava idiota a ideia de fazer parte daquilo. Durante esses 10 dias, todo dia de madrugada batia altos papos com minha prima falando o que tinha acontecido virtualmente no dia e ela sempre insistia para eu continuar no app porque, por pior que fosse aquilo ali, ao menos eu ria e me divertia. E era verdade.Cheguei a conversar com uns caras até bacanas, mas nunca me dava vontade de encontrá-los. De tanto um insistir eu fui e adivinha: Decepção total! O cara era um babaca, sem assunto e egocêntrico, daqueles que dá vontade de sair correndo. E olha que o encontro não durou mais que 1 hora e foi totalmente entediante. Daí, comecei a conversar com um outro que tinha um papo muito parecido com o meu e nos falamos por uns 3 dias, durante o dia todo. Não sei como ele conseguia se concentrar no trabalho de tanto assunto que tínhamos.. rsrsrs. Enfim, nesses 3 dias o papo foi do Tinder para o whatspp muito rápido e a afinidade fluía facilmente.E combinamos de nos encontrarmos no 4ª dia, que era um sábado.

Bem, no dia combinado, travei e pensei “vou desmarcar isso”, “vai ser outro encontro fracassado e não tô disposta a mais uma noite perdida” e cheguei a falar que não iria porque estava desanimada e dei uma desculpa idiota, de que ele era muito baixo pra mim, porque só me interesso por homens com ao menos 1,80 m de altura. E ele ainda insistiu e me perguntou se eu iria perder a chance de conhecer o homem da minha vida por conta da altura. Voilá!  Assim não tinha como eu não ir né? Mesmo ainda achando nada a ver eu sair com um cara apenas 6 cm mais alto que eu, que tenho 1,67m.

Fui. Morrendo de vergonha, tímida e sem saber como agir, mas fui. E esse primeiro encontro foi bem bacana. Ele me levou no Solar de Botafogo, um bar meio lanchonete meio lounge, aqui no Rio. O papo fluiu bem, rimos, falamos um do outro, comemos hambúrguer, dançamos e daí ele veio e me roubou um beijo. Confesso que fiquei meio sem ação e sem saber o que fazer, afinal de contas estava destreinada e sem contar que não estava esperando por isso naquele momento. Mas foi bom. Ele era educado, gentil, carinhoso, atencioso e divertido. Mas, eu ainda não estava 100% à vontade com tudo aquilo. Me senti uma adolescente com seu primeiro beijo.

E daí, nos falamos no dia seguinte e no dia após o seguinte e em uma semana já havíamos nos encontrado 3 vezes e nos falávamos todo dia. E, não é que o negócio engatou? E engatou tanto que estamos juntos até hoje. E já são 10 meses juntos. E estou muito feliz por isso.

Tinha amado tanto e com tanta força antes que achava que isso não seria mais possível. Achava que o amor que eu sentia antes, e que era tão intenso, já tinha amado pela vida toda. E vem a vida e nos pega de surpresa. Nos dá um presente, que é a chance de viver uma nova história e amar e ser amada novamente. De sonhar junto de novo, criar novos planos, de planejar o futuro junto à alguém e querer construir novas lembranças e novos momentos a serem contados lá na frente.

A dor da perda que senti antes, deixou marcas em mim, mas com elas sei que fui muito amada, mas elas também me fazem saber que o amor vale a pena e que estou hoje muito feliz por esses novos 10 meses e querendo fazer esses meses só se multipliquem.

Sou muito grata à vida por me permitir ser capaz de sentir tudo isso, amar e ser amada.

E que esse dia dos namorados seja apenas o primeiro de muitos outros com você Almir, que me fez ver que o amor pode acontecer quando a gente se permite e cultivá-lo a cada dia é uma grande delícia. Te amo!

E o presente que ele vai ganhar? Já até comprei, mas só conto depois, senão estraga a surpresa. 😉

E você, tem também alguma história bacana pra contar? Conta aqui e vamos multiplicar o amor.

Beijoss,

Karine Dali

 

 

8 Replies to “Como conheci meu namorado”

  1. Eu sou a prima que deu força para esse amor acontecer …. espero que vcs casem logo, pois desse casorio eu sou madrinha com certeza…
    mil beijos…

  2. Só acho que você deveria colocar a descrição do Tinder do Almir no texto…
    Só acho… hehe dica pra eles.
    BoA surfista… saudade de vocês

  3. Ownnnnn, que lindo!!! Adorei conhecer os pormenores dessa história inusitada, apaixonante e cheia de felicidade! Que vocês tenham uma vida toda pela frente, juntos!
    Você é minha cupida, e como toda cupida, merece também ter um amor pra chamar de seu! <3
    Obs: Estou vendo aí pelos comentários que os lugares no altar já estão sendo loteados… Queria deixar registrado o meu interesse.. Fica a dica! hehe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*