Embrace – Filme

Não sei se alguém de vocês aqui já assistiu ao filme/documentário “Embrace” , mas se ainda não viu, pare por cerca de 1 hora e veja.

Esse filme estava na minha lista de filmes para assistir doNetflix e no meu voo de volta de Fortaleza para o Rio, decidi que era a hora (para quem não sabe, no app do Netflix você pode fazer downloads de filmes e séries e assistir offline); #ficaadica

A única coisa que sabia a respeito desse documentário é que era sobre a relação das mulheres com seu próprio corpo.  Até aí, ok. Inúmeras revistas, sites e programas de tv abordam esse tema atualmente, mas não sabia que seria tão rico em informações e histórias de vida.

A minha ideia não é fazer spoiler do filme aqui, mas sim, alertar mais uma vez para o fato de como temos a nossa auto imagem completamente distorcida e devastadora de nós mesmas. E por que? Porque os meios de comunicação nos faz acreditar que o padrão de beleza perfeito é ser alta, magra, linda, de olhos claros e bem sucedida? Isso é ser perfeita? Será mesmo?

Esse documentário mostra histórias reais de conquista pelo corpo perfeito que não levou a felicidade plena, história de anorexia, de superação, de mulheres sem seios, com deficiências físicas e ainda assim completamente lindas. São lindas pelo simples fato de serem mulheres e estarem felizes por dentro e por fora. Por passarem a se aceitar e se amar exatamente como são;

Tem também aquelas que ainda estão no processo de se amarem, assim como eu tento diariamente.

E uma das coisas que o filme mostra é que mulheres muito bem sucedidas e famosas, aquelas que vemos na tv, cinema e revistas, muitas vezes são infelizes, simplesmente por pressão externa, cobranças mil e por terem suas vidas julgadas a todo instante. Por que permitimos isso? Será que no mundo existe alguém 100% perfeito? Por que nós mulheres não apoiamos mais umas às outras ao invés de nos agredirmos com olhares e muitas vezes palavras culposas e agressivas?

Eu estou nesse meu processo de me criticar menos e me amar mais, mas confesso que não é fácil. pelo contrário, é difícil pra caramba deixar o olhar crítico e julgador pra trás. Mas, como eu disse, é um processo.

Então fica aqui minha dica de filme que todos, sim TODOS deveriam assistir, não apenas nós mulheres, mas homens também para aprenderem que não somos loucas ou dramáticas, mas sim pessoas que vivem sobre pressões diárias, pois muitos deles não entendem.

E aproveito para deixar outras duas dicas, um outro filme que assisti ontem, nacional, chamado “Gostosas, lindas e sexies” e acompanharem o grupo “Um papo sobre autoestima”, criado pelas amigas Carla Paredes e Joana Canabrava, que estão fazendo um trabalho incrível com mulheres reais em prol do “se ame como você é”.


Carla e Joana – Um papo sobre autoestima

Beijoss,

Karine Dali

Sobre: Pitaco Delas

Karine Dali, 38 anos, estilista, blogueira e carioca. Também filha, tia, irmã, madrinha e namorada. Nascida no 1º dia do verão, não poderia deixar de amar sol, praia e mar Sagitariana, moleca, mulher, desastrada e feliz!.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*