Yes! Nós temos biquíni – CCBB

Hoje eu vim falar sobre uma exposição super bacana que está rolando aqui no CCBB do Rio. É a exposição “Yes! Nós temos biquíni”, que com curadoria de Lilian Pacce, conta a história do biquíni no Brasil.

Eu estava bem ansiosa para ir nessa mostra, pois, acho que ainda não contei aqui, mas eu amo biquínis. Amo mesmo e se pudesse, teria centenas no armário. Logo, ir no CCBB saber um pouquinho mais dessa peça do vestuário era quase que obrigatório.

Lilian Pacce reuniu peças, fotos, material publicitário, pinturas, vídeos e tudo que conseguiu de mais bacana para contar a trajetória da moda praia desde sua primeira aparição na história, no século XIX, até os dias de hoje e que segundo os pesquisadores, essa peça teve origem na França.

Biquínis franceses do final do século XIX e início do século XX

O biquíni, independente de qual modelagem, estampa ou tendência do momento, diz muito sobre a cultura e comportamento de uma determinada região. Por exemplo, aqui no Brasil, nós mulheres nos sentimos muito à vontade em deixar exposto o bumbum, coisa que as europeias já não conseguem fazer, porém deixam de fora os seios com extrema naturalidade.

Nos 70 anos de história dessa pequena peça de vestuário, o biquíni brasileiro passou por inúmeras modificações. Já foi grande e bem comportado, fio-dental, asa-delta, sunkini, tanga e por aí vai. Já vimos de tudo, ou quase tudo, né? :Pois os estilistas estão sempre trazendo novidades na moda praia, seja em modelagens novas ou tecidos inovadores. Mas, o que podemos afirmar é que a moda praia brasileira é objeto de desejo no mundo todo, mas se não tomarmos cuidado, podemos perder esse status, pois o mercado australiano está vindo com força total nessa área. Enfim, mas voltando a história, nosso biquíni revolucionou nosso comportamento e se tornou forte aliado na emancipação da mulher. Muitas mulheres vistas como fortes há décadas atrás, ajudaram e muito a fazer do biquíni uma peça usada sem preconceitos, ou melhor sem medos e fazendo com que nós mulheres tivéssemos direito de nos expor também.

Abaixo algumas fotos da exposição onde mostram evolução e momentos icônicos.

Uma outra parte bacana na exposição, é uma área dedicada aos índios brasileiros, onde historicamente, deveriam levar os créditos pela invenção do biquíni, pois “prova disso, são as preciosas tangas marajoara de cerâmica, que datam do período pré-colombiano e revelam semelhança na maneira de cobrir o corpo – sem falar que eles já tomavam banho de mar muito antes dos europeus” Essas tangas e modo de se vestir dos índios encantou os gringos que levou nosso conceito mundo afora e fazem isso até hoje. Não por acaso, muitos artistas imigrantes escolheram o Brasil para viver e representam muito bem a moda por aqui e lá fora.. Com isso, nessa parte, temos peças com inspiração indígena, homenageando quem trouxe esse conceito de biquíni muito antes dos franceses.

Salinas – Coleção Indígena Verão 2006/2007
Água de Coco – Coleção Amazônia Verão 2016/2017
Osklen – Coleção Royal Black Verão 2011/2012 – Maiô feito de couro de pirarucu

Enfim, a exposição é um prato cheio para quem gosta de moda, curiosidades, cultura e etc. Além das peças de biquíni, tem também quadros, filminhos, dentre outras coisas, que se eu mostrar tudo aqui, vira spoiler e perde a graça.

A exposição vai até dia 10 de julho e tem entrada gratuita, o que é ainda melhor…rsrs. E para saber mais, acesse o link do CCBB.

E, se você ver mais posts como esse aqui no blog, deixa nos comentários.

Beijoss,

Karine Dali

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*